terça-feira, 19 de maio de 2009

“SER EMAGRECIDO II”

Mais um artigo interessantíssimo sobre a "Psicoterapia da Boa Forma". Todos sabem que não sou psicóloga, não estudo psicologia, muito menos pretendo cursar, mas após minha gastro aprendi a dar muito valor a este profissional.
Vale muito a pena dar uma lidinha, boa leitura à todos!


"PSICOTERAPIA DA BOA FORMA"
Por alguma razão a pessoa engordou. Pouco ou muito. Sobrepeso obesidade ou apenas acima dos padrões que imagina para si, claro, vinculados à nossa cultura.

Começa a busca pelo emagrecimento. Soluções mágicas, dietas da moda, “remédios” que resolvam o problema, “regimes”. Tudo, menos bom senso, equilíbrio e a compreensão que emagrecer exige comprometimento, paciência, mudança de estilo de vida.

Há sempre a esperança de que alguém o emagreça e logo! O “regime” é tão duro de seguir que precisa terminar logo! O máximo que consegue é perder algum peso cor algum tempo, se conseguir. Ai o peso volta e com ele a frustração e o reforço da baixa auto-estima, já tão comprometida.

A proposta honesta e viável de emagrecimento é emagrecer e PERMANECER MAGRO! Envolve comprometimento, participação ativa da pessoa, bom senso, perseverança. Muitas vezes é preciso mudar a cabaça para mudar peso.

A essência do tratamento é a modificação de hábitos alimentares. Diferentemente “regime”, a reorientação nutricional implica em novo aprendizado para ser executado para o resto da vida. Nem sempre a coisa é tão simples. Muitas vezes a comida mascara outros problemas de ordem psicológica que não são tratáveis nutricionalmente nem por medicação. É onde entra a psicologia, seguramente a área menos compreendida e mais negligenciada no tratamento.

Quem precisa de psicologia no processo de emagrecimento? Quem sabe o que fazer, mas não consegue fazer aquilo que sabe que deveria. Esse “não consegue” pode ser consciente ou não. Pode aparecer sob a forma de compulsão alimentar, ansiedade, tristeza, uma suposta fraqueza, nervosismo, irritabilidade. Outras vezes pode surgir como autêntica auto-sabotagem ao processo. Sempre que isto ocorre devemos pesquisar psicologicamente o que está por traz da obesidade. Quais os benefícios inconscientes que a pessoa possa ter engordando ou permanecendo gorda.

Emagrecer envolve o regate da auto-estima, do amor próprio, do sentimento de merecimento da felicidade. O resgate de prejuízos inúmeros que a própria doença, sim obesidade é doença crônica, possa ter trazido à pessoa. Prejuízos físicos, sociais, emocionais, afetivos. O desenvolvimento de estratégias que permitirão permanecer magro após a perda de peso. Lembre-se, quem consegue perder peso não é magro, ESTÁ MAGRO SE E ENQUANTO MANTIVER UM ESTILO MAGRO DE VIDA.

ESSE É O PAPEL DA PSICOLOGIA.

Fonte: Tommaso


Gostaram do artigo? Então aguardo seu comentário!
Bjokinhas

3 comentários

Carol disse...

Amigaaaaaaa!! Disse e falou tudo!! heheh
Tendo um pensamento de comprometimento com todos os profissionais da equipe e acreditando no trabalho de psicologia o sucesso vem fácil!
Bjos no core! E ah! Tem recadinho pra vc no meu cantinho!!! Fui! Plop!

Cris Fênix disse...

Oi moça, tudo bom?
Acho a psico muito importante em todo esse processo que estamos passando. Eu digo honestamente que fico com muito preguiça de ir, porém saio de lá me sentindo tão bem...
Sei que não engordei à toa, afinal a comida é uma ótima compania pois ela nunca te critica, não te aponta, tá sempre ali quando vc precisa dela...
Sempre tive uma relação de amor e ódio com a comida e aos poucos com a ajuda da psico, estou aprendendo a lidar com isso.
Se cuida!
Beijos

Heliane disse...

Amigaaaaaaaa!!!!!!!! Cadê vc q tá tão sumida??? Bjs!!!!!Te adoro!!!:D