quinta-feira, 7 de maio de 2009

Obesidade Infantil - Olhos bem abertos!


Boa tarde amigos blogueiros, tudo beleza com vocês?
Respondendo a perguntas feitas nos meus comentários, SIM eu estou relativamente bem, digamos que tentando absorver uma notícia nada agradável que tive esta semana!
Todos vocês sabem que tenho uma filha linda, a Maria Eduarda de 06 anos, ela é a luz da minha vida!

Esta terça-feira 05/05 levei ela numa consulta com a mesma nutricionista que tem feito meu acompanhamento pós gastro. Sempre soube que a Duda era fortinha( a tendência a obesidade é fortíssima, tanto materna quanto paterna), e desde o seu nascimento fui preocupada com sua alimentação. Amamentei ela no peito até os 08 meses, e busco sempre evitar consumo excessivo de porcarias!
Tanto é que consegui que ela crescesse gostando de legumes e verduras, ela ama brócolis, couve-flor, espinafre, cenoura, tomate, etc...
Mas ela sempre comeu muito bem as refeições, nunca precisei forçá-la a nada, muito pelo contrário, em alguns raros momentos que ela não queria comer não insistia, e sabia que se a fome batesse ela pediria e eu atenderia a necessidade dependendo do momento e da hora!
Achei que ela estivesse como uma criança "fofa" e com uns quilos a mais, mas a constatação que ela está 09quilos acima do peso ideal, me tirou o chão!
Ela tem 06 anos e 02 meses, 1metro e 27cm, e 37 quilos, sendo que conforme a tabela de IMC infantil, ela está com IMC 22.94.
A tabela de IMC infantil(abaixo vc visualiza ela) é diferente da dos adultos, e minha pequena deveria ter um IMC menor que 17.5! (affff)


Passou um filme diante dos meus olhos e confesso que me maguou muito ouvir e constatar aquilo!

Não sei mais o que fazer, ando berando o desespero gente!!!
A madrinha dela Sissa veio aqui, conversou bem sério com ela, com jeitinho, e ela relativamente entendeu. Ela ama esta madrinha e tem maior admiração por ela.
Sabe aquelas Dindas que mesmo o afilhada sendo baby, ela preocupava-se com o bem estar da criança?? Sempre deu presentes educativos, e conversava com aquele jeitinho meigo, sério, mas educando ao mesmo tempo? esta é a Sissa, minha comadre maravilhosa!!!

Minha pequena acompanhou toda minha história da gastro, minha internação na UTI e sabe pelo que passei e tento fazê-la compreender que não é por mal, mas não quero vê-la passar por coisas parecidas.
Quando conversamos com ela, ela demonstra sempre entender e aceita bem o assunto, mas sei que no alto de seus 06 anos, ela não assimila mesmo a real importância disso tudo, afinal das contas é apenas uma criança!
Tenho medo, muito medo de estar traumatizando ela e não estar sabendo lidar com esta situação delicada!

Entrei em contato com a professora e diretora da escola dela, e pedi um acompanhamento especial para a hora da merenda. A Duda gosta muito da merenda escolar, e tende sempre a repetir, e mesmo pedindo que ela não faça isso, sei que ela dá uma escapulida e repete a porção!
Estou atacando por todos os lados, solicitei reforços e a diretora e a professora irão monitorá-la e me ajudar nesta empreitada!

Estou também buscando junto a Universidade de Caxias do Sul, que possui convênios e projetos voltados ao cidadão uma vaga em um dos projetos infantis.
Hidroginástica, ou natação, ou algum outro esporte que eu possa encaixá-la e que me ajude a não deixá-la agravar o quadro de obesidade.



Esta pirâmide acima é o nível de importância das atividades físicas que ela pode e deve desenvolver.

Ela está em fase de crescimento e se eu conseguir manter no nível que está, revertemos esta história!
Já marque consulta com a pediatra dela e solicitarei um hemograma completo e demais exames complementares.

Aí você que está lendo este artigo, e tem filhos ou sobrinhos deve estar se perguntando, mas será que são obesos ou tem propensão a obesidade??

Responda honestamente às questões a seguir:

Seu filho não tem nem 7 anos e apresenta um apetite exagerado?
Ele já possui um prazer fora do comum em comer?
Está acima do peso da média?
Come muito rápido e não mastiga os alimentos direito?
Apesar de você caprichar no primeiro prato, ele pede sempre para repetir?
Ele costuma comer escondido?
Toma entre dois e três copos de suco ou refrigerante a cada refeição?
Uma hora e meia depois de comer, seu filho já está com fome novamente?

Se você respondeu “sim” à maioria das perguntas acima, seu filho pode estar – ou corre o risco de ficar – obeso. Esqueça a velha e errônea idéia de que criança gordinha é sinônimo de criança saudável e deixe de lado as técnicas infalíveis para empanturrar seu filho, pois o que ele precisa agora é de uma alimentação equilibrada e saudável.

A obesidade infanto-juvenil acontece por vários fatores – predisposição genética, a forma como o organismo metaboliza os alimentos –, mas a principal causa está no sedentarismo e na maneira como a criança e o adolescente se alimentam desde o nascimento.

O leite materno, alimento que deve ser exclusivo até os 6 meses de vida do bebê (ou pelo menos até os 4 meses) é um grande aliado contra a obesidade na fase adulta. Em idade pré-escolar (de 1 a 7 anos), quando costumam surgir os problemas com a comida, as crianças geralmente não se interessam muito pelos alimentos.

Mas se nessa fase seu filho se alimenta de forma voraz, com grande prazer, e seu peso em relação à altura for maior do que o esperado, você deve ficar de olho. Esse pode ser um sinal de que problemas futuros com a obesidade estão surgindo.

A partir dos 7 anos, o apetite da criançada aumenta e junto com a vontade de comer vem o gosto por alimentos muito gordurosos. Continue atento, junto com o pediatra, na relação peso e altura da criança. E se for preciso, já comece a agir, mas com calma, pois é comum o pré-adolescente engordar um pouco, pois nesse período ele armazena gordura para o estirão da adolescência, quando há aquele rápido aumento da altura.

Fonte: Obesidade Infantil em Foco


Então, torçam por mim e me enviem energias positivas amigos e amigas. Comecei uma nova batalha contra a Obesidade, agora dupla a minha e a da minha pequena, e que Deus me ajude a perseverar e vencer esta guerra!
Amém!!!
Beijos a todos e inté o próximo Post!

6 comentários

Cris Fênix disse...

Oi Nanny, quando era pequena também era gordinha e naquela época "as tias" só falavam que era sinal de saúde. Hoje em dia, sei que não é.
Ajude sua filha sim, seja amiga, ela pode não entender algumas coisas mas com o passar no tempo, entenderá sim. Eu passei por isso e minha sobrinha também está passando. Procuramos conversar com ela, algumas coisas ela entende e aceita e outras não.
Fica tanquila que vai dar tudo certo!
Beijos
:))

Heliane disse...

Oi Nanny!!!!!Meu problema é o inverso do seu.Meu filhote está com 8 anos e 8 meses e não come nada, tenho q brigar e fazer chantagem pra ele comer direito, mas isso é com comida pq com porcaria o apetite dele é voraz. Sei o quanto tudo q vc esta passando é dificil, pois sua filha é muito pequena. O meu apesar de não apresentar sinais de obesidade eu já me preocupo, pois tem a genetica e a má alimentação podem causar isto mais tarde. Comigo foi assim, só começei a engordar na adolescencia e na infancia fui baixo peso e desnutrida. acredita.
Mas vai dar tudo certopra sua filha, pois ela tem uma mãe especial e q esta fazendo de tudo para ajuda-lá.
Olha estou aqui se vc precisar!!!!!Bjs!!!

Carol disse...

Amiga, estamos no mesmo barco!!! Meu filhote começou essa semana no futebol e dieta.. está com 7 anos e meio, 1,40m e 40kg!!! O que mais me preocupa é a qualidade de vida, mas ainda bem que temos nossas histórias como um "norte"! Podemos e devemos buscar ajuda de todos os lados sim!! O que precisar de mim, estarei sempre aqui!
Bjos enormes

Elise - GAG disse...

Oies Nanny, eu fiz dietas a partir dos 7 anos pq tive tireoidite e entao vivia nos endócrinos.. Tem que ser trabalhado de maneira delicada ne? Mas vc entende o problema e é uma vitoriosa, então pode servir de exemplo pra filhota. Lembra sempre para ela que os kg acima são detalhes bem pequenos, e que além deles ela tem características maravilhosas e é uma menina especial e linda.. Tô torcendo pelo sucesso de vocês duas.. Que o Papis do Céu as ilumine. Beijaooo

Lygia disse...

Acabei de chegar da pediatra e descobri que minha filha LUÍSE, filha única, de 6 anos e 8 meses, está com 35kg e 1m19. Pelo quadro que vi no seu blog é uma obesidade absurda. Sabe, eu sou gordinha, meu marido tb. Não queria que minha filha fosse, mas o que ela tem de exemplo? Trabalho muito e chego tarde em casa, qdo chego janto tarde...sei que são exemplos péssimos, mas ela é consciente. Não faz esporte, apesar de gostar, porque o horário não bate com o meu. Fico preocupada, mas os exames não deram nada de negativo, nenhuma taxa alterada. Sei que queremos o melhor para nossos filhos e não quero tachá-la de " gordinha simpática", mas ajudarei na medida do possível, principalmente na parte psicológica para que não ajude a reforçar esse mundo hipócrita em que só é feliz quem é magro. Eu sou feliz, meu marido é feliz, meus irmãos são felizes. Continuo dizendo: sou professora e sei como sofrem as crianças e adolescentes com sobrepeso, mas é nossa função como mãe também não ajudar nem reforçar este esteriótipo. Minha filha é minha vida, a amo como nunca amei ninguém e não quero que ela sofra. Desculpem o desabafo, não sou uma mãe irresponsável, apenas FELIZ.

Angela disse...

Apesar de vc ter postado este no ano passada, hoje estava buscando sobre o assunto e a maioria dos sites que encontrei foram em inglês. Enfim, achei vc! Li e fiquei chocada! Tenho 2 filhos 10anos com 45 Kg e 7 anos com 39Kg. Conclusão, obesos! Vendo não parece, mas estão! Vou buscar fazer algo a respeito, ainda meio perdida mas com muita vontade de reverter isso!